Ir para o Conteúdo

Candelária, 23 de Outubro de 2017


Início do Conteúdo

Pontos Turísticos

Ponte do Império


Situada a cerca de 17 quilômetros da cidade, na localidade de Alto Passa Sete, foi construída entre os anos de 1879 e 1880, pelo arquiteto e imigrante alemão Carlos Himberto Puhlmann, sobre o arroio Passa Sete, há poucos metros acima de sua confluência com o Rio Pardo e à margem direita desse. Sua construção sobre uma estrada que, pela sua importância, marcou a história do Rio Grande ao longo do século XIX; a indiscutível beleza de sua forma; a justaposição perfeita de suas pedras retangulares, artisticamente trabalhadas, formando três imponentes arcos; a solidez de sua estrutura, testemunhada ao longo de mais de um século, e a sua localização no seio agreste encantador e fascinante da natureza a fazem um valiosíssimo patrimônio histórico e arquitetônico do município. Foi declarada patrimônio histórico, para fins turísticos, pelo decreto nº 29/86, de 2 de outubro de 1986. Por essa ponte, no século passado, antes dela e depois sobre ela, passavam as tropas de muares, com seus cargueiros repletos de mercadorias - a erva-mate, quando desciam - fazendo o comércio entre os habitantes dos "pampas" e os de "cima da serra". Simultaneamente, numa decorrência óbvia, se operavam trocas de experiências e uma recíproca assimilação de costumes, na lenta elaboração da cultura do gaúcho. Talvez sua denominação de Ponte do Império se deve ao fato de ter sido construída ainda na vigência do Império. Sua construção, entretanto, foi projetada e executada por iniciativa e às expensas do governo de Rio Pardo. O custo final dessa ponte foi de quinze contos, quinhentos e cinqüenta e cinco mil, novecentos e oitenta réis. Muito dinheiro para a época.








voltar