Ir para o Conteúdo

Candelária, 15 de Dezembro de 2017


Início do Conteúdo

Notícias

Prefeito adota medidas para contornar crise
05 de Outubro de 2017

Prefeito adota medidas para contornar crise
Com diminuição no repasse de verbas por parte dos Governos Federal e Estadual prefeito não teve escolha a não ser realizar cortes
 
Em reunião realizada nesta quarta feira, com todos os secretários municipais, o prefeito Paulo Butzge, motivado pelas dificuldades que atravessam os municípios brasileiros, por conta da diminuição dos repasses de verbas por parte do Governo Federal e Estadual, já que os cortes efetuados pelos governos tem “efeito cascata” sobre os municípios, não viu alternativa a não ser a de tomar medidas drásticas que garantam a governabilidade.
Para tanto, Butzge expôs as dificuldades aos secretários, que entenderam a situação e num gesto de união, colocaram seus cargos a disposição. Após essa medida, houve um consenso de que é necessário manter somente algumas pastas essenciais com titulares, no caso da Assistência Social, onde permanece a secretária Marta Emmel, Educação com a secretária Esther Spengler, Saúde, com a secretária Sandra Gewehr e a Administração, com o secretário Dionatan Tavares da Silva, pois, segundo o prefeito é o “mínimo do mínimo” para mantermos a governabilidade.
Paulo relatou que é importante frisar que não foram exonerados os secretários que ocupavam as pastas, mas sim as Secretarias, enaltecendo ainda que todos cumpriram seu papel com destaque, porém, o momento exige medidas deste porte, devendo num primeiro momento o próprio prefeito Paulo Butzge e o vice Nestor Ellwanger  assumirem algumas das pastas, e num segundo momento, os secretários remanescentes acumularem a responsabilidade. As pastas que passam a ser comandadas pelo prefeito e vice neste primeiro momento é a de Turismo, Cultura e Esporte, que era comandada pela secretária Alexandra Bini, de Obras, por Dilamar Braga, de Agricultura, por Anselmo Vanderli da Silveira, da Fazenda e de Planejamento, que eram comandadas pela secretária Sônia Pereira e de Indústria, Comércio e Habitação, que era comandada por Sérgio Diehl.
Paulo Butzge revelou também que haverá outros cortes que serão lineares, pois é  ferramenta que dispõe para reduzir  os gastos públicos, sendo que ainda nesta semana serão anunciadas demissões de cargos de confiança, e outras medidas, como o turno único, o qual o prefeito não tem simpatia, mas que neste momento será necessário para diminuir as despesas. O prefeito anunciou ainda o corte de 100% das horas extras, exceto casos essenciais, como ambulância, transporte escolar e algum outro caso, diárias e cursos também estão cortados.  Com estas medidas, a previsão é a de que o município irá economizar aproximadamente R$ 100 mil mensais.
O prefeito lembrou ainda que “todos estes cortes não representam redução dos serviços ou atendimento por parte da Prefeitura Municipal, certamente os que ficarem terão que suprir as lacunas, e por isso entende que este sacrifício acontece por tempo limitado, já que a sobrecarga será inevitável para alguns”. Paulo Butzge disse ainda que “é um dos piores dias que esteve à frente do executivo municipal, mas não tem como evitar. Ele acredita que com o tempo e melhorando os repasses do governo certamente serão retomadas algumas ações”, porém, frisou o prefeito, “no último dia 26 de setembro o município teria que ter recebido aproximadamente R$ 208 mil de ICMS, mas recebeu R$ 42 mil, ou seja, R$ 166 mil a menos, e na segunda-feira recebeu a notícia que o governo Sartori não irá mais pagar a Saúde, e não temos a exata noção da profundidade dessa notícia, se é radical ou parcial, então vivemos um momento muito difícil, onde tenho a responsabilidade de administrar o município de forma a não comprometer os serviços e as contas, e por isso, não tive escolha e fomos obrigados a tomas medidas radicais”, finalizou Paulo Butzge.







+ notícias